Estreamos os posts deste blog com a resenha do Livro “Ritmos Brasileiros na Bateria“, do meu querido amigo Tito Oliveira.

O livro é uma documentação importante do universo percussivo baiano, que tem sido pauta das nossas melhores críticas internacionais através dos shows da Rumpilezz e do quinteto do Maestro Letieres Leite. Tito é baterista deste quinteto, baiano de Salvador, e pesquisador dessa rítmica que assina a autenticidade da música baiana.

20150412_201225

O livro destaca 6 ritmos desse universo, com transcrições muito bem feitas das execuções de percussionistas brasileiros e diversas variações. Tito propõe uma transcrição para bateria das claves do rum, rumpi e lé – trio de tambores clássico para estes ritmos.  E para cada transcrição, uma proposta de exercícios progressivos, que resultam na performance final da transcrição. O livro é acompanhado de um CD, onde se pode ouvir o resultado final de cada transcrição.

Não bastasse o prazer de se ler e escutar esses exercícios, o final do livro apresenta obras do genial Letieres Leite, em arranjos para sopros e percussão, tal como a Rumpilezz. Isso fecha com chave de ouro um trabalho belíssimo de Tito, que aproveitou os conteúdos do universo afro-brasileiro para desenvolver uma metodologia deliciosa de estudo dos ritmo brasileiros do nordeste.

A Bahia é um terreno fértil para essa musicalidade que inspira as criações jazzísticas da Rumpilezz, de outros grupos baianos e de todo o mundo. O universo das claves, dos compassos compostos na música brasileira é um material vasto e merecedor de estudo dentre nossos músicos e professores. Por isso, esse livro será adotado nas disciplinas que leciono na Unirio. Sugiro a todos os professores de percepção do Brasil um olhar cuidadoso para esse material, que promete momentos divertidos e proveitosos de estudo. Pra quem já adotava o Gramani como (ótimo) material de estudo rítmico, eu adiciono que o estudo dos métodos de bateria e percussão trabalham independência, progressão de dificuldade, coordenação, leitura, e mais – tratam do assunto musical com seu resultado final – a própria música.

Nas minhas aulas, adotei os instrumentos virtuais de bateria e percussão no tablet/ipad/celular para as leituras rítmicas com timbres reais. Escutamos os exercícios do Tito com o som real da bateria – ao invés de tás, tis, palmas, facas, etc. Sim, o tablet/ipad/celular é material didático nas minhas classes, e tem trazido um universo musical para os exercícios de percepção. E sim, os alunos compram os aparelhos (`a vista ou a prazo) e ficam felizes! 🙂

Além de tudo isso, Tito colaborou no meu EP Cândida, como baterista na faixa Yema Samba. Um ijexá moderno onde tive um privilégio de contar com o talento de Tito.

Convidei Tito para um workshop no Rio e ele topou. Segue o blog pra saber quando vai ser.

Até breve!

Cândida

Anúncios